quinta-feira, 5 de maio de 2016

O rolo de papel

Venho regularmente ao porto de Leixões desde 2011 e não pude deixar de notar a construção do novo terminal de passageiros.
Fui vendo a obra, fui admirando a obra, fui vendo a placa da obra com o seu custo, fiquei a saber que também seria o Pólo do Mar da universidade e que seria também os futuros escritórios ou instalações da autoridade portuária ou semelhante.
Atraquei algumas vezes nesse terminal, antes da inauguração, servia muito bem de cais de espera.
Com isto tudo fiquei convencido que o terminal antigo iria desaparecer para dar mais espaço ás operações comerciais, como todos nós sabemos o porto de Leixões é exíguo e não tem grande possibilidades de expanção.
Como todo o português sabe ou tem a noção disso, o país está de tanga e um investimento na procura de rendimentos é sempre bem vindo mas.... investir uns 50 a 60 milhões de euros num terminal de passageiros que segundo li num jornal que todo orgulhoso escrevia que Leixões iria receber anualmente cerca de 160 000 passageiros, estou a pôr um número acima pois não me lembro ao certo, mas deu-me para fazer as contas e um grande Cruise Ship leva á vontade 3 000 passageiros o que dá 53,3 navios/ano, um navio por semana.
Depois deste brilhante cálculo fico a pensar. Uma obra daquelas para um navio por semana? Vale a pena? Eu duvido.
E já agora sobre os navios de passageiros actuais que tanto Lisboa e Leixões tentam atrair como se fosse a salvação da economia nacional, se calhar deve ser isso quando os nossos políticos querem referir quando dizem que o nosso futuro é o mar. Um moderno Cruise Ship (vulgo navio de cruzeiro) não passa de um imenso centro comercial flutuante, com lojas, casino, restaurantes e muitas oportunidades de os passageiros gastarem dinheiro, o objectivo deles é fazerem os passageiros gastarem o dinheiro a bordo e não nas cidades dos toscos que fazem obras megalómanas para receber esses navios. Uma notícia recente deu conta que no ano passado tinha havido mais turistas a desembarcar em Lisboa (passageiros) mas que em média tinham gasto menos 54€ (se fizermos as contas aos 160 000 de Leixões são 8,5 milhões a menos.
Gostava de saber qual o preço unitário daquele mosaico octogonal que cobre o rolo de papel. Sim, a obra parece um rolo de papel, sim, é um edifício que estéticamente até gosto mas acho dinheiro a mais para limpar a merda que se faz neste país.
E o terminal antigo continua activo pois parece que um dos barracões antigos aparece num filme todo xpto de um realizador português, desculpem a minha ignorância mas não gosto mesmo do cinema português por isso não sei que filme nem quem o realizou. O que sei é que quando venho a Leixões vejo mais navios no terminal antigo do que no terminal novo.
Nesta minha última estadia estava nessa situação e o terminal novo estava como cais de espera para um cargueiro.




Oh mar salgado, quanto do teu sal são lágrimas de Portugal.... pois, choramos estas caramelices.
Volto a repetir, a obra até que é bonita.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Uma gaivota disse: